O relator da CPI do Banestado, deputado José Mentor (PT-SP), informou ontem que recebeu documentos de um banco americano confirmando a existência de uma conta conjunta do ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, com a ex-mulher dele, Nicéia Camargo. ?A confirmação dessa conta dá credibilidade para outras coisas que Nicéia disse à CPI?, afirmou Mentor.

O deputado viajou a Nova York no início de dezembro acompanhado de Nicéia e do deputado Dr. Hélio (PDT-SP). De acordo com Mentor, a conta foi aberta em dezembro de 1994 com uma transferência de US$ 110 mil e encerrada em 1997, com um valor não revelado. Os deputados receberam 50 páginas de documentos e 30 de extratos que detalham as transações bancárias e serão analisados pela assessoria técnica da CPI.

Nicéia Camargo afirma que a conta foi aberta em dezembro de 1994 no Commercial Bank de Nova York. Os deputados descobriram que parte do banco foi vendida ao North Fork Bank, que encontrou os dados da conta e os enviou à comissão na semana passada. José Mentor afirma que a assinatura do casal foi constatada no cartão de abertura da conta, apesar de o documento ainda não ter sido periciado.