A matéria enviada anteriormente (10h11), com o título “Sem chuvas, sistemas registram queda; Cantareira fica estável”, refere-se aos dados de ontem (13/05) divulgados pela Sabesp. Favor desconsiderá-la.

Com pouca chuva nas últimas 24 horas, o nível do Cantareira, principal manancial de São Paulo, se manteve estável pelo segundo dia consecutivo, segundo dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), divulgados nesta quinta-feira, 14. Os reservatórios que compõem o sistema operam com 19,8% da capacidade, mesmo índice do dia anterior.

Responsável por abastecer 5,4 milhões de pessoas na capital e Grande São Paulo, o Cantareira não registra queda há quatro dias. Sobre a região, a pluviometria do dia foi baixa: apenas 0,4 milímetro. Já o volume acumulado nestas duas primeiras semanas de maio é de 35,5 mm – cerca de 45,4% da média histórica do mês.

Tradicionalmente divulgado pela Sabesp, o índice leva em conta duas cotas de volume morto, de 182,5 bilhões de litros de água e de 105 bilhões de litros, adicionadas no ano passado.

Segundo o cálculo que considera o volume negativo, que passou a ser divulgado pela Sabesp em abril após ordem judicial, o Sistema Cantareira manteve -9,5%. Já de acordo com um terceiro conceito, o manancial continua operando com 15,3% da capacidade. Esse cálculo divide o volume armazenado pelo volume total (volume útil mais duas cotas de volume morto).

Outros mananciais

Além do Cantareira, o Guarapiranga, que abastece 5,8 milhões de pessoas, também manteve o volume armazenado de água e opera com 82,7% da capacidade. Outros quatro reservatórios tiveram alta.

O Sistema Alto Tietê subiu 0,2 ponto porcentual, passando de 23,1% para 23,3% – cálculo considera uma cota de volume morto, com 39,4 bilhões de litros de água.

A maior variação foi a do Rio Claro, que aumentou 1 ponto do volume de água represada. De acordo com a Sabesp, o reservatório está com 55,7%, ante 54,7% no dia anterior.

Enquanto o Sistema Rio Grande ganhou 0,5 ponto porcentual, o Alto Cotia, o menor dos mananciais, subiu 0,2 ponto. Eles operam com 96,8% e 68% da capacidade, respectivamente.