O corpo da arquiteta Anna Maria Niemeyer, 82, filha do arquiteto Oscar Niemeyer, foi enterrado no início da tarde de hoje no cemitério São João Batista, na zona sul do Rio.

O pai não foi à cerimônia. Ele esteve internado recentemente em razão de uma pneumonia, motivo pelo qual decidiu-se que ele não iria. Faz frio com chuvas ocasionais no Rio.

Anna Maria morreu na tarde de ontem devido a um enfisema pulmonar. Ela estava internada no hospital Samaritano, no Rio, desde o dia 1º deste mês.
Dona de renomada galeria de arte no Rio, que ficará fechada por dez dias, ela deixa quatro filhos.

Anna Maria Niemeyer nasceu no Rio de Janeiro e desde muito jovem colaborou com seu pai, dedicando-se à ambientação de interiores.

Trabalhou na Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil) nos Palácios da Alvorada e do Planalto, no Congresso Nacional e no Supremo Tribunal Federal, em Brasília, onde residiu de 1960 a 1973.

Com o pai, estudou uma linha de móveis produzido no Brasil e na Itália, que chegou a ter obras expostas em espaços como o Centre Georges Pompidou, em Paris; o Chiöstro Grande em Florença; a Organização das Nações Unidas em Nova York; o Salão de Paris; o Salone Del Móbile em Pádua; a Feira Internacional de Colônia; o Salão Internacional do Móvel de Milão, e em diversos museus brasileiros.
Em 1977, inicialmente no Leblon, inaugurou a galeria de arte com o seu nome. Em 1979, transferiu-se para o Shopping da Gávea, onde produziu, gerenciou, coordenou e organizou mais de 300 exposições individuais e coletivas.

Foi, com Victor Arruda e Italo Campofiorito, autora do projeto de criação do MAC-Niterói (Museu de Arte Contemporânea de Niterói).