Porto Alegre – As cooperativas agrícolas do Rio Grande do Sul deixaram de receber soja dos produtores rurais e de transportar o grão para o terminal portuário de Rio Grande, na zona sul do Estado. A decisão foi tomada anteontem pela Federação das Cooperativas Agrícolas do Estado (Fecoagro), que orientou suas associadas a suspender o carregamento do produto e o envio de caminhões ao porto. A paralisação das atividades é resultado da suspeita de que sementes tratadas com agrotóxicos, proibidas ao consumo humano, tenham sido misturadas a cargas embarcadas para a China e recusadas pelo governo daquele país. A necessidade de revisar todos os estoques represou o produto no porto e deixou lotados os quatro terminais graneleiros, com capacidade para 1,6 milhão de toneladas.