O motorista Benedito Aparecido Munhoz levou um susto ao receber a conta telefônica de abril: o valor a pagar era de R$ 149.765,21. A conta toda pesa 2,25 quilos e chegou em cinco envelopes, com cerca de cem folhas cada. O Procon de São Carlos, na região de Ribeirão Preto, registrou, só neste ano, 14 reclamações de clonagem de telefonia celular rural.

As milhares de ligações da conta de Munhoz teriam sido feitas para 13 países e 27 estados brasileiros. O Procon notificou a Telefônica, que é responsável pela telefonia celular rural, na quarta-feira e espera solução. A Assessoria de Imprensa da Telefônica informou que a conta indevida já foi cancelada, sem gastos para o cliente, e está apurando as irregularidades.

Prevenção

“Os casos se sucedem e a empresa (Telefônica) não está tomando providência preventiva”, afirmou o coordenador do Procon de São Carlos, Renato Cassio Soares de Barros. Para ele, a empresa teria de apresentar uma forma para evitar o problema. Os outros casos de clonagens, com contas altas e fora dos padrões, segundo Barros, foram resolvidos. Uma pessoa teve mais de uma conta alterada: uma de R$ 1,5 mil e outra de R$ 2 mil. Outro consumidor reclamou da cobrança de R$ 7 mil.

Barros lembra que, no caso de Munhoz, que gastava cerca de R$ 40 mensais, a conta de março já havia subido para R$ 2.054 58. “Com a ocorrência anterior, já devia ter sido tomada alguma providência”, comentou.