Brasília – O relator da CPMI dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), anunciou que hoje serão apresentados à comissão os chamados relatórios gerenciais, que consistem em um balanço do que a CPMI já investigou até agora. Sub-relator de movimentação financeira da comissão, o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR) explicou que os técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU) que auxiliam a CPMI vão mostrar em que fase estão as auditorias nas contas dos Correios. Por sua vez, o departamento de recuperação de ativos do Ministério da Justiça fará um relato sobre a situação da conta da empresa off shore Düsseldorf, aberta pelo publicitário Duda Mendonça no paraíso fiscal das Bahamas.

A CPMI fará, também na reunião administrativa de quinta-feira, avaliação da movimentação financeira do empresário Marcos Valério de Souza, além de apresentar a primeira estatística da movimentação telefônica analisada pela comissão. Os relatórios gerenciais não serão encaminhados a nenhum órgão, pois têm a função de alimentar a própria CPMI com informações de diversas áreas.

O presidente da CPMI, senador Delcídio Amaral (PT-MT), disse que a sub-relatoria do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB) deverá investigar a denúncia sobre suposto esquema de caixa dois do PT de Goiás, conforme denúncia feita nesta terça-feira pelo Jornal Nacional, da TV Globo.

Normal

Em depoimento na CPMI dos Correios, o chefe do Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Luiz Gushiken, declarou ontem que considera normal o investimento de fundos de pensão nas revistas do cunhado dele, Luiz Leonel. As publicações Investidor Individual e Investidor Institucional teriam recebido quase R$ 2 milhões dos fundos. "A maior parte dos investimentos na revista é de origem privada", argumentou.