O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou nesta terça-feira (31), por unanimidade, a abertura de processo disciplinar contra o ministro licenciado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Medina e três outros magistrados acusados de envolvimento com a máfia dos caça-níqueis, desmantelada pela Polícia Federal em abril passado, na Operação Hurricane (Furacão). Os quatro são suspeitos de participação em esquema de venda de sentenças a favor de organizações criminosas.

Com a abertura do processo, eles passam a ser formalmente investigados. O relator do processo foi o ministro Cesar Asfor Rocha, cujo voto pela abertura do processo foi acompanhado pelos outros 14 integrantes do CNJ. Em caso de condenação, a pena máxima para os quatro acusados é a de aposentadoria compulsória.