Brasília – Começa hoje a campanha da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para conscientizar as comunidades a não venderem seus votos. As entidades vão usar a estrutura de mil subseções da OAB e 16 mil paróquias no Brasil. Além disso, vão pregar a necessidade de manter intacta a legislação eleitoral atual. Há um projeto do senador César Borges (PFL-BA) no Congresso para amenizar as punições previstos na Lei Eleitoral n.º 9.504/97, que pune com cassação de mandato o crime de compra de votos no País.

A campanha foi lançada ontem durante a reunião do Conselho Pleno da AOB, da qual participaram a diretoria da OAB, 81 conselheiros federais, o secretário executivo da Comissão Brasileira Justiça e Paz da CNBB, Carlos Moura, e o membro da CNBB, padre Ernane Pinheiro.

O presidente da OAB, Roberto Busato, criticou a proposta do senador e o fato de ela surgir às vésperas da eleição municipal. “É como no futebol: pretende-se virar o jogo com o jogo já iniciado. Estamos dentro de um calendário eleitoral que já está sendo praticado e não deveria, nesta época, de forma nenhuma, ser conhecido um projeto que é tão polêmico e tão contrário à vontade manifestada por 1,2 milhão de pessoas”, diz Busato.