O Ministério da Justiça e o governo de São Paulo acertaram na tarde de hoje a transferência de Antônio Cesário da Silva, o Piauí, para o presídio federal de Porto Velho. Segundo autoridades da área de segurança, a Justiça já autorizou a operação, que pode acontecer a qualquer momento.

Silva é considerado o chefe da facção PCC na favela Paraisópolis e é investigado por mandar matar seis policiais.
A ação faz parte da ação integrada anunciada hoje pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para combater o crime organizado no Estado.

Uma das medidas é a criação de uma agência que irá integrar os setores de inteligência da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Nacional de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Civil, Receita Federal, Secretaria da Fazenda, Ministério Público, entre outros.

Além da criação dessa força de atuação conjunta, foi definida ainda a transferência de presos para penitenciárias federais. A SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) ainda estuda quantas e como serão feitas as transferências dos detentos, mas Cardozo já adiantou que não vai divulgar nomes ou números relativos a essas transferências por questões de segurança.

Também não foram dados detalhes sobre o custo dessa atuação em conjunto.