O governador da Bahia, Jacques Wagner (PT), afirmou nesta segunda-feira (5) que a chance de prosperar um eventual terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é zero. "O próprio presidente Lula não aceita conversar a esse respeito, isso está fora de qualquer padrão democrático e se houver qualquer movimento neste sentido, eu me insurgiria contra", destacou o governador da Bahia, que participa hoje de um evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Segundo Wagner, o deputado federal Devanir Ribeiro (PT-SP), apontado como um dos líderes do movimento em prol do terceiro mandato para Lula, pode ter se manifestado neste sentido sem consultar o próprio presidente. "Do ponto de vista da história do Brasil e do presidente Lula, dificilmente ele se comprometeria com qualquer tentativa neste sentido. Isto é um total desserviço", emendou.

O governador baiano comentou que conhece a posição do presidente Lula porque conversa muito com ele. Nessas conversas, segundo ele, a posição de Lula é totalmente contrária a um novo mandato consecutivo. "Se tivermos de fazer algo, o melhor seria acabar com a reeleição e instituir, por exemplo, um mandato de cinco anos. Esta seria a posição mais sensata e poderia valer para as próximas eleições.

Wagner disse ainda que a alternância de poder é um fator positivo também para sucessão interna no Partido dos Trabalhadores. "Sem fazer nenhum julgamento, acho que alternância de poder é positiva porque o mal é eternizar as pessoas no poder", destacou.

Presidência do PT

O governador disse que tem as "melhores relações" com o presidente do PT, Ricardo Berzoini (SP), cotado para assumir mais um mandato na presidência da legenda. Defendeu, porém, a candidatura do deputado federal José Eduardo Cardozo (SP). "O jogo democrático é muito positivo para as instituições.

Ainda sobre as discussões em torno de um eventual terceiro mandato para o presidente Lula, Wagner reiterou: "Acho uma bobageira e faço campanha contra". E alfinetou: "Não sei se o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) gostou tanto do segundo mandato dele. Se ele tivesse saído no primeiro mandato, a foto dele na história do País teria sido melhor.