A notícia de que o piloto do Airbus da TAM, que explodiu no Aeroporto de Congonhas na terça-feira, não tentou arremeter a aeronave antes do acidente foi contestada pelo chefe do Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), brigadeiro Jorge Kersul Filho, informou a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto. De acordo com assessores, o brigadeiro Kersul transmitiu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que não procede a versão de que o piloto não tentou arremeter, divulgada em Washington pelos deputado Efraim Filho (DEM-PB) e Marco Maia (PT-RS).

"Não é prudente fazer qualquer tipo de especulação com as informações que ainda estão na caixa-preta", afirmou Kersul, de acordo com os assessores do Planalto. Segundo os deputados Efraim e Maia, as informações preliminares da caixa-preta do Airbus, o trajeto do avião indica uma linha reta até o momento do acidente. A versão de que o piloto, ao perceber a impossibilidade de frear, teria tentado levantar vôo novamente, foi uma das primeiras que surgiu logo após o acidente.