O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou que prefere continuar no cargo a ser transferido para o comando do Ministério da Defesa, no lugar do ministro Waldir Pires, que estaria na iminência de ser substituído. O chanceler negou que tenha sido sondado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a possibilidade de assumir a Defesa. A uma pergunta sobre a possibilidade de dar uma contribuição ao governo na área militar, Amorim deixou claro que pretende continuar nas Relações Exteriores: "Espero que o presidente ache que eu possa contribuir com a política externa.

Questionado pela imprensa se já se considera um "ex-futuro ministro da Defesa", o chanceler disse: "Estou contente com o ‘ex’". Desde a última sexta-feira, circulam rumores de que Amorim poderia ser transferido para a chefia da área militar. Desde então, em pelo menos duas ocasiões, ele negou ter sido convidado e enfatizou seu desinteresse nessa mudança ao responder a assessores próximos.