As plumas, adorno de destaque em fantasias de luxo amplamente usadas nos desfiles das escolas de samba, vêm perdendo espaço no comércio de produtos carnavalescos. A gripe aviária, que tem dificultado a importação de penas e plumas, somada à escassez do produto nacional, prejudicam a oferta. O varejo do ramo já se ressente.

"A última compra que fizemos da África do Sul foi em janeiro de 2006. No meio do ano passado, tentamos importar e não conseguimos. Esses mercados podem abrir num mês e fechar no outro?, diz Alexandre Correa, da importadora Cortatex, responsável pelo abastecimento da Casa Costa, na 25 de Março. ?O mercado chinês está fechado há três ou quatro anos.?

Para atender à atual temporada, a Casa Costa está abastecida. "Temos um estoque com cerca de 1,5 mil quilos de plumas de avestruz", diz ele. Mas, nos próximos meses, Correa pretende buscar alternativas. "Não sei se em outros países ou no mercado nacional. Vamos pesquisar?, diz.

No Palácio das Plumas, a importação para este ano foi menor do que a feita para o carnaval passado. Foram 7 mil quilos. No ano anterior, compraram 10 mil quilos. "Para 2008, adquirimos 30% no mercado nacional?, diz a proprietária da loja, Pinah Ayoub, que ficou famosa quando sambou com o príncipe Charles, na década de 70, como destaque da Beija-Flor.