Salvador – Frade capuchinho que precisou deixar a ordem religiosa para se candidatar a prefeito este ano e vencer a eleição do município de Itamaraju, a 733 quilômetros de Salvador, o padre Frei Dílson Santiago (PT) que tem o apoio do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) está em greve de fome desde segunda-feira. Ele protesta contra um pacote de projetos que o atual prefeito, Aluyr Carletto (PTB), ex-diretor da União Democrática Ruralista(UDR) na região quer aprovar no "apagar das luzes" de seu mandato que se encerra agora.

Frei Dílson armou seu acampamento em frente à Câmara Municipal de Itamaraju e tenta convencer os vereadores a não aprovar os projetos de Carletto. Segundo ele, "é preciso muita oração e jejum para expulsar os demônios Carletos de Itamaraju". Há anos as duas facções se digladiam e se alternam no poder no município. O petista foi prefeito de Itamaraju entre 1997 e 2000, perdendo a reeleição para Carletto, que já teve fazendas ocupadas pelo MST. Este ano foi o petebista que não conseguiu renovar o mandato. Carletto enviou os cinco projetos polêmicos para aprovação na Câmara. O primeiro propõe a concessão da administração do terminal rodoviário a um grupo empresarial que teria ligações com familiares do prefeito, o segundo pede a isenção de impostos a uma entidade que congrega empresários da região, o terceiro aumenta em 11% o salário do funcionalismo público, o quarto doa um terreno para a construção de casas populares e o quinto reajusta o transporte urbano.