São Paulo – Os candidatos à Prefeitura de São Paulo, José Serra (PSDB) e Marta Suplicy (PT), aproveitarão as duas semanas desta reta final da disputa para aumentar a artilharia um contra o outro. Ao contrário do primeiro turno, dirigentes de PT e PSDB já admitem que não há tempo a perder e por isso estão dispostos a pôr em prática todo o tipo de tática de desestabilização. “Vamos acabar com o tucanismo. Não vamos deixar nada barato”, avisa o coordenador da campanha petista, deputado Ítalo Cardoso. “Se eles vierem quente, vamos esperá-los fervendo”, rebate um dos coordenadores da campanha tucana, deputado Edson Aparecido. Em ninho tucano, a idéia é revidar cada ataque, mas sem provocação. Com 13 pontos à frente da petista, segundo a última pesquisa Ibope divulgada pela Rede Globo, Serra, no entanto, levará ao ar depoimentos de paulistanos insatisfeitos com a administração atual. O apoio do ex-prefeito Paulo Maluf (PP) a Marta será amplamente explorado.