Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi surpreendido ontem, em pleno ar, com uma demonstração dos pilotos de caças da Força Aérea Brasileira. Segundo a Agência Brasil, dois caças Mirage da FAB interceptaram “de surpresa” o avião “Força Aérea 01” em que o presidente Lula e os ministros Fernando Furlan (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e Olívio Dutra (Cidades) retornavam de São Paulo, no início da tarde. O motivo da interceptação, segundo a agência da Radiobrás, que divulga a notícia sem informar a fonte, foi o de “mostrar ao presidente o trabalho dos caças no ar” antes da visita que Lula fará, no próximo dia 17, ao Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro, em Brasília. Segundo a informação, no momento da interceptação, enquanto Lula observava da janela do avião o vôo de um dos caças, uma voz que se identificou como a do tenente-coronel-aviador Jeferson Domingues de Freitas anunciou no serviço de som de bordo do avião presidencial: “Excelentíssimo sr. presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ?Força Aérea 01? foi interceptado e está sendo escoltado por duas aeronaves F-103 Mirage do 1.º Grupo de Defesa Aérea, Unidade da FAB, responsável pela vigilância e controle do espaço aéreo brasileiro. Aproveitamos o ensejo para desejar votos de felicidade à senhora Marisa pelo transcurso de seu aniversário. Senhor comandante supremo das Forças Armadas brasileiras, tenha um bom vôo e um pouso seguro. Boa viagem”.

FT elogia primeiros 100 dias de governo Lula

Londres – Um artigo do jornal Financial Times, publicado ontem, avalia os primeiros 100 dias do governo de Luiz Inácio Lula da Silva e observa que o presidente brasileiro tem recebido aplausos no exterior. O presidente do Banco Mundial, James Wolfenson, está “inequivocamente impressionado”. O diretor gerente do FMI, Horst Kohler elogia “o caminho corajoso” escolhido pelo presidente brasileiro. O diário financeiro britânico observa que os preços dos títulos da dívida sobem e levam os juros desses papéis aos níveis mais baixos em quase um ano. As exportações estão decolando e banqueiros acreditam que o País poderá em breve voltar a captar empréstimos nos mercados internacionais. O FT afirma que essa trajetória positiva do País nos últimos três meses deve-se, em parte, ao “inesperado conservadorismo” de Lula. “Ao invés de romper com o programa pró-mercado de seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso, o governo tem mantido a mesma trajetória cautelosa”, analisa o FT. “Entretanto promessas para a criação de empregos, o alívio da pobreza crônica e para tornar as caóticas cidades brasileiras mais seguras não foram esquecidas.”