Madri – A polícia espanhola acusa um cidadão brasileiro detido na sexta-feira passada, em Madri, de ser o autor de 17 estupros desde agosto do 2000, o que o converte em um dos maiores agressores sexuais na Espanha nos últimos tempos. O acusado foi identificado como Juvenilson D. da S., de 32 anos, que foi preso sob suspeita de ter cometido cinco “crimes contra a liberdade sexual”. Depois, disse ontem a polícia, outras onze mulheres, entre doze vítimas de estupros, o identificaram sem dúvida nenhuma, como a pessoa que as agrediu. Juvenilson, que mora na Espanha há quatro anos, foi detido no último dia 12, quando seguia duas mulheres.

A polícia achou em seu poder uma faca e o telefone celular de uma de suas vítimas e em sua casa outros aparelhos do mesmo tipo e diversos objetos, supostamente pertencentes a outras de suas vítimas. A polícia, que deteve Juvenilson como suposto autor de cinco estupros cometidos na localidade madrilenha de Pozuelo de Alarcón, lhe atribui outros doze crimes do mesmo tipo cometidos nas imediações de uma praça do centro de Madri, já que onze das doze mulheres o reconheceram em fotografias. O brasileiro pode se converter no segundo estuprador nos últimos anos na Espanha, depois de um homem madrilenho que em janeiro de 2000 foi condenado a 514 anos de prisão por ter violentado ou agredido sexualmente 26 mulheres.