Brasília – O Brasil tem uma média de 350 mil acidentes por ano, que deixam mais de 30 mil mortes nas estradas e avenidas brasileiras, numa proporção de um caso a cada 18 minutos. A violência no trânsito tem um custo social de R$ 10 bilhões por ano.

O Brasil ocupa o quarto lugar do ranking mundial de acidentes de trânsito. Segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), a taxa de mortes é de 6,8 para cada 10 mil veiculos, enquanto nos Estados Unidos é de 1,93 e na França 2,35. De acordo com o Ministério da Saúde, de janeiro a julho deste ano, os acidentes de trânsito consumiram entre 30% e 40% do que o Sistema Único de Saúde (SUS) gastou com internações por causas externas (aquelas resultantes de acidentes e violência em geral), equivalente a R$ 268,7 milhões. Na rede Sarah Kubitschek, referência mundial em reabilitação, mais da metade dos casos atendidos é de vítimas da violência no trânsito.

No Paraná, segundo o site do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), o número de mortes por 10 mil veículos foi de 5,52 em 2002, menor que a média brasileira. A frota do Estado no ano passado era de 2.718.779 veículos. No ano passado, aconteceram 1.501 mortes e 28.529 acidentes com vítimas. No entanto, também no estado, é um problema grave.

O diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Ailton Brasiliense, lembra que esses acidentes geralmente são relacionados à ingestão de bebidas alcoólicas antes de dirigir, à alta velocidade e à ausência do cinto de segurança, além da imprudência do pedestre. Por isso, a mudança de comportamento do cidadão é o foco principal da Semana Nacional de Trânsito, que começou anteontem e termina quinta-feira.

Com o tema “Dê Preferência à Vida”, o governo quer, por meio da parceira com estados, municípios, empresas, organizações não-governamentais e escolas, promover uma mudança cultural, que permita a redução dos altos índices de acidentes. Em várias cidades serão realizadas palestras, blitzes educativas, exposições, apresentações de mímica e de peças teatrais para chamar a atenção dos brasileiros para o problema. Um dos pontos altos da programação será amanhã, quando balões brancos serão soltos no mesmo horário, em dezenas de cidades.

Segundo o ministro das Cidades, Olívio Dutra, a campanha faz parte de um conjunto de medidas que serão colocadas em prática. Além da campanha, será lançado até o final do ano que vem o projeto inspeção técnica veicular, em fase de elaboração. Segundo o diretor do Denatran, os 31 milhões de veículos da frota nacional terão que passar por manutenções periódicas preventivas, o que reduz o risco de acidentes causados por má conservação dos carros.