Rio (AE) – Os escândalos do mensalão, do valerioduto, da máfia das ambulâncias, das malas de dinheiro para pagamento de propina, entre muitos outros, custaram caro à imagem do Brasil no exterior. Pesquisa divulgada ontem pela ONG Transparência Internacional mostra que o país teve uma ?piora significativa? no nível de corrupção. Na pesquisa passada, o Brasil ficou em 62.º lugar em uma lista de 159 países. Agora, caiu para 70.º, em 163 nações pesquisadas. A ONG Transparência Brasil avaliou os resultados de 154 países que aparecem nas duas pesquisas e constatou que o Brasil caiu cinco posições em relação ao ranking do ano passado.

Em 2005, o Brasil teve nota 3,7 no Índice de Percepção da Corrupção, medido a partir de pesquisas feitas com pessoas que têm ligação direta ou indireta com negócios internacionais. Em 2006, com a maior repercussão das denúncias envolvendo integrantes do governo, parlamentares e partidos políticos, o país caiu para 3,3 na avaliação geral.

Para fazer o ranking mundial, a Transparência Internacional usa como base de dados várias pesquisas feitas em diferentes países por instituições como o Banco Mundial, o Fórum Econômico Mundial e agências de avaliação de risco. A pontuação vai de zero (pior situação) a dez (situação ideal).

?No caso do Brasil, é difícil não atribuir em boa medida a deterioração no índice à repercussão internacional dos escândalos que afetaram o governo no período recente?, diz a análise feita pela Transparência Brasil. ?Não se sabe como a opinião das pessoas é formada. O Brasil se destacou mais pelos escândalos do que pelas melhorias, que aconteceram, mas não refletiram na percepção das pessoas?, resume o diretor-executivo da ONG brasileira, Claudio Weber Abramo.

O Brasil divide o 70.º lugar com outros oito países: China, Egito, Gana, Índia, México, Peru, Arábia Saudita e Senegal. ?Conforme a Transparência Internacional, o movimento do Brasil no índice deste ano correspondeu a uma real deterioração da imagem do país e não a um efeito numérico?, ressalta a análise da Transparência Brasil.

O pior desempenho na lista dos países mais corruptos é do Haiti (nota 1,8) , que, apesar da força de paz da ONU instalada no país desde 2004, sofre com ações constantes de grupos armados de várias tendências. Logo em seguida vem o Iraque (1,9), dominado pela violência desde a ocupação pelos Estados Unidos, há três anos, que divide o 160.º lugar com Myanmar e Guiné.

Estão entre as nações menos corruptas, empatadas, a Finlândia, a Islândia e a Nova Zelândia, com 9,6 pontos. Entre os países que ficaram mais corruptos no último ano estão, além do Brasil, Cuba, Estados Unidos e Israel.

O controlador-geral da União, Jorge Hage, disse não ter se surpreendido com o aumento na percepção de corrupção, ?após um ano de campanha eleitoral em que o governo foi acusado diuturnamente pelos opositores nas tribunas do Congresso, na mídia toda e nos programas eleitorais?. ?A própria divulgação das providências investigativas da corrupção já faz ampliar a percepção do fenômeno?, declarou.