O mercado norte-americano de ações fechou em queda forte, revertendo o movimento de ontem. O índice Dow Jones teve sua maior queda em pontos desde 13 de março e a segunda maior queda de 2007, tanto em pontos como em termos porcentuais. Operadores disseram que o mercado reagiu a informes de resultados de empresas importantes e que persistem as preocupações quanto ao setor de títulos hipotecários de segunda linha (subprime) e seu possível impacto no setor financeiro.

"Obviamente, muito dinheiro foi gasto e o mercado está cansado. A verdade é que três meses atrás, o Dow Jones estava em 13 mil pontos, e então nós saltamos para os 14 mil pontos. Chegamos a um nível em que os compradores estão cansados", comentou o estrategista-chefe da AG Edwards, Al Goldman.

Para ele, as preocupações quanto às hipotecas subprime não são novidade para o mercado e a ansiedade quanto aos lucros das empresas não tem fundamento, porque de uma maneira geral os informes de resultados têm sido positivos. "No mercado, a cobra que morde não é a que você vê. É sempre um fator negativo inesperado que mata o touro, não aquilo em que todo mundo está pensando, como a questão do subprime", acrescentou.

Ações

Das 30 componentes do Dow Jones, 29 fecharam em queda; somente as ações da Verizon Communications fecharam em alta (+0,75%). As da DuPont caíram 6,31%, em reação a seu informe de resultados; as da American Express, que havia divulgado resultados ontem depois do fechamento, caíram 5,40%. Também divulgaram resultados a AT&T (-0,87%) e o McDonald’s (-1,81%).

Entre os destaques negativos do pregão também estava a financeira Countrywide Financial, com queda de 10,5% (maior baixa entre as componentes do S&P-500), depois de a maior provedora de crédito imobiliário dos EUA dizer que perdas relacionadas a empréstimos concedidos a tomadores com boa qualidade de crédito contribuíram para uma queda de 33% no lucro líquido do segundo trimestre. A informação foi interpretada no mercado como mais um sinal de contágio dos problemas enfrentados pelo setor de créditos hipotecários subprime. As informações são da Dow Jones.