Santiago – A cantora Maria Bethânia, que se apresentou ontem na capital chilena, criticou duramente o ministro da Cultura, Gilberto Gil. “Ele não fez nada definido” em sua gestão, disse Bethânia, que em sua trajetória gravou mais de 40 discos e vendeu um milhão de cópias com álbuns como Álibi (1978) e Mel (1979), o que a tornou a primeira cantora brasileira a chegar a estes números. Apesar das críticas, a cantora disse ao jornal El Mercurio, que mantém sua confiança em Gil, que ainda pode realizar coisas boas, assim como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Lula fez um bom governo. Fiquei contente porque o povo colocou um igual na presidência do Brasil, um país muito grande com muitos problemas”, ressaltou. Depois de oito anos de ausência, Maria Bethânia fará no Chile um show em homenagem a Vinicius de Moraes, em que também mostrará músicas de seu novo repertório. Bethânia, será acompanhada por 22 músicos, apresentará algumas músicas de seu último disco, Brasileirinho, e adiantará outras de seu álbum em homenagem a Vinicius, que deve ser lançado no final de 2004.