Embora tenham sido alvo de medidas restritivas nos últimos quatro anos, as despesas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com auxílio-doença continuam elevadas. Apenas de janeiro a julho deste ano, o gasto está acumulado em R$ 7,5 bilhões, o equivalente a 60% dos R$ 12,1 bilhões pagos pelo benefício em 2006. Em 2003, a despesa era de apenas R$ 4,6 bilhões.

Preocupado com a deterioração dos números e com a repercussão negativa do maior controle do acesso ao benefício, o ministro da Previdência, Luiz Marinho, vai lançar hoje em rede de rádio e televisão uma campanha de esclarecimento à população sobre o auxílio-doença.

A campanha será feita por duas semanas, a um custo de R$ 2,8 milhões. Folhetos, cartazes e filmetes serão distribuídos nas agências da Previdência para informar os segurados sobre quem tem direito, em que situações, os valores e o trabalho dos médicos-peritos. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.