Os vôos em Teresina, no Piauí, tiveram atrasos e registraram overbooking. Um grupo teve que esperar quase oito horas para embarcar em outra aeronave, por problemas de acomodação. O membro da CPI do Apagão, deputado estadual piauiense José Francisco Paes Landim (PTB), não pôde embarcar num vôo da TAM com destino a Brasília por atraso nos vôos e por overbooking da empresa.

"Venderam mais passagens do que assentos na aeronave. Ficaram nove pessoas no aeroporto Petrônio Portella, em Teresina, e tiveram que ser divididas em dois outros grupos para embarcarem para Brasília e São Paulo", informou um passageiro que pediu para não ser identificado.

Alguns passageiros ainda sofreram o constrangimento de terem a cobrança de uma taxa por remarcação de passagem. Muitos deles reclamaram que estavam atrasados por uma responsabilidade da empresa aérea e ainda teriam que pagar por isso. Depois de muita discussão, os atendentes do guichê da TAM terminaram aquiescendo aos argumentos dos passageiros.

Quatro jornalistas que iam para o evento Piauí Sampa, em São Paulo, chegaram no aeroporto antes das 6h30 para embarcar no vôo de 7h30. Eles ficaram em Teresina e tiveram que embarcar em outro vôo às 15h50 por conta do overbooking.

Algumas pessoas estavam revoltadas porque queriam viajar antes e não tiveram direito a acomodações. Depois de muita reclamação, alguns foram acomodados no vôo que partiu para Brasília às 12h45.

"Eu achei um absurdo que a empresa aérea queria que a gente pagasse uma diferença para pegar outro vôo, como se a culpa fosse nossa, enquanto a companhia é que deveria nos tratar de forma diferente, porque venderam mais passagens do que lugares no avião", comentou a jornalista Cíntia Lucas, que estava de viagem marcada para São Paulo.