enkontra.com
Fechar busca

Brasil

Violência

Com machados, armas medievais e bombas, atiradores invadem escola e matam oito em Suzano

  • Por Gazeta do Povo
Uma pessoa é socorrida após tiroteio ocorrido na Escola Estadual Raul Brasil de Suzano (SP). Foto: Werther Santana / Estadão Conteúdo

Dois atiradores encapuzados invadiram nesta quarta-feira (13) a Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande de São Paulo, e dispararam contra estudantes e funcionários. Eles mataram seis alunos e dois funcionários da escola. Os atiradores – Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luís Henrique de Castro, 25 anos – se suicidaram após o ataque, segundo a Polícia Militar. Há outros 10 feridos.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Os atiradores, antes de invadir a escola, atiraram no dono de um lava jato vizinho da escola, que foi levado para o hospital. A escola está isolada neste momento porque a polícia avalia se objetos deixados pelos atiradores podem ser bombas.

O coronel Salles, da Polícia Militar, que participa do atendimento ao caso, disse que os atiradores entraram na escola na hora do intervalo. Primeiro, eles atiraram em uma coordenadora pedagógica e em uma supervisora. Depois, se dirigiram ao pátio, onde atingiram alunos de ensino médio. Depois seguiram para um centro de línguas.

Na mochila dos atiradores havia três coquetéis molotov, duas bestas (lança-seta) e um revólver 38. Uma terceira mochila foi encontrada com uma espécie de bomba, de acordo com informações do Major Caruso, subcomandante do 32.º Batalhão com sede em Suzano.

Segundo um vizinho da escola, o atentado aconteceu pouco após o início das aulas no período da manhã. “Moro ao lado, vi um tumulto e fui para lá. Cheguei e estava um tumulto, várias crianças saindo correndo ensanguentadas. Um desespero, professor, funcionário, todos correndo”, afirmou o vizinho, que se identificou apenas como Juliano.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Reprodução / Google Maps

Escola onde ocorreu o atentado. Reprodução / Google Maps

A escola oferece ensino fundamental e médio e um centro de estudos de língua. A unidade educacional tem ao cerca de mil alunos, a partir da 5ª série. A maioria dos estudantes está no ensino médio (693), parte nos anos finais do ensino fundamental (358) e alguns na educação especial (16), segundo informações de 2017. Ao todo, são 105 funcionários. A nota do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) em 2017 foi 5,8, abaixo da meta nacional, de 6.

Alunos relatam o que aconteceu

“Estava saindo do banheiro quando ouvi um barulho de explosão, mas achei que fossem os meninos brincando de atirar bombinha. Eles sempre fazem isso. Mas ouvi outras dez, quinze explosões e então percebi que eram tiros”, conta Maria Paula Guimarães de Lima, de 16 anos, que estuda e estava na escola estadual Raul Brasil, em Suzano (SP).

Segundo a estudante, antes de ir ao banheiro, ela tinha ido à secretaria da escola, onde os atiradores começaram a atirar. “Quando percebi que eram tiros de verdade e ouvi os professores gritando, voltei para o banheiro para me proteger. Havia umas dez pessoas se escondendo comigo, nós ficamos rezando, pedindo para viver”, conta a estudante.

Ela diz acreditar que ficou entre 30 e 40 minutos dentro do banheiro e só saiu do esconderijo minutos após os tiros cessarem. “A gente não sabia o que estava acontecendo. Eu peguei meu celular e liguei pra polícia e só saí de lá quando senti que não havia mais perigo”, conta.

Maria Paula diz que a escola tinha algumas brigas entre alunos, mas “nada sério” e que tenha chegado à direção. “Eu estudo aqui há dois anos, nunca imaginei que isso pudesse acontecer. Eu gosto da minha escola, dos meus amigos, nunca pensei que alguém pudesse querer nos machucar”, contou a jovem, que estava do lado de fora da unidade de ensino, acompanhada da mãe.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

26 Comentários em "Com machados, armas medievais e bombas, atiradores invadem escola e matam oito em Suzano"


Antonio  Brasileiro
Antonio Brasileiro
8 dias 7 horas atrás

Realengo, Janaúba e outros: episódios de ataques em escolas no Brasil: Crimes similares aconteceram em 2018, 2017, 2012, 2011, 2003 e 2002.- Anos de governos do PT e do PMDB! Parem de culpar o nosso Presidente Bolsonaro.

Adriano
Adriano
8 dias 1 hora atrás

Isso não é culpa de presidente nem político nenhum, aliás culpa de ninguem, não há como saber quem apresenta instinto pra fazer uma insanidade, ou seja, não tem o que se fazer para evitar que esse tipo de coisa ocorra

MAIOR DO ESTADO
MAIOR DO ESTADO
8 dias 8 horas atrás

quem costuma usar machado, bombas, e outras armas são os piçolistas e terroristas do mst e mtst..

inclusive quando são presos sempre sao declarados ”loucos” e sempre ”agem sozinhos”..

Marcelo  De Souza
Marcelo De Souza
8 dias 9 horas atrás

Por isso uso meu canivete automático …perigoso a polícia fazer geral e apreender o canivete …

Lutador Antifacista
Lutador Antifacista
8 dias 9 horas atrás

O problema no Brasil não são as armas legais, mas são as ilegais que são a imensa maioria. Estes MALDITOS no mínimo estavam com um 38 ilegal ou roubaram de alguém que tinha legalizado, as outras armas é até difícil de fazer controle, acho que não tem normatização destas no Brasil. Que tristeza!!!

8 dias 9 horas atrás

Todos idiotas,
Quando é que vamos usar a palavra TERRORISTAS ?
Armas , bombas, vários mortos e depois o “martírio” para ganhar a recompensa das virgens. Será possível que ninguém entende que os muslins já estão entre nós?

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas