São Paulo – Enquanto decidia se o Exército continuaria a ocupar as ruas do Rio, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, tinha seu carro roubado em São Paulo. O Omega blindado, ano 1998, modelo 1999, de placas CRU-1803, estava com o motorista da família, na zona sul, que aguardava a mulher do ministro, Leonor Bastos, passar por uma consulta médica. As polícias Civil e Militar e até a Federal foram acionadas.

O roubo ocorreu por volta de 12h20. O motorista Manoel Mineiro de Sousa, de 67 anos, aguardava Leonor com o vidro aberto, no Brooklin. Com ele, estava outra empregada da família. O ladrão foi descrito pelo motorista como um homem branco, cabelos castanhos, de boné, aparentando 22 anos e armado com uma pistola.

“É um assalto. Não grita e sai correndo ou eu te estouro”, gritou o criminoso. O motorista estava com as chaves na mão e pensou em fugir. Com medo, entregou as chaves para o ladrão, que seguiu com o carro em direção à Avenida Bandeirantes. Dentro do Omega – que está em nome do ministro – havia um processo e um celular, que foram levados.

Busca

Imediatamente, diversas unidades policiais foram acionadas. A Civil e a Militar passaram a informação para todos os carros que estavam em patrulhamento. “Um carro blindado pode ser usado em assaltos”, disse o delegado Godofredo Bittencourt Filho, diretor do Departamento de Investigação sobre o Crime Organizado (Deic). “Nós vamos atrás de qualquer carro que tenha sido roubado.”

Policiais do Deic percorreram ainda vários desmanches em busca do carro do ministro. A Polícia Federal, segundo o delegado Gilberto Tadeu, foi acionada para dar apoio às investigações. Até o final da noite, a polícia não tem nenhuma pista do ladrão e acredita que ele deverá abandonar o veículo quando souber que se tratava do carro do ministro da Justiça.