O clube Mesc, de São Bernardo do Campo, afastou nesta segunda-feira (30) o técnico Fernando de Carvalho Lopes. A instituição emitiu nota em seu site oficial e informou que a decisão foi tomada após denúncias de que ele teria abusado de ao menos 40 jovens ginastas.

“Considerando a gravidade das acusações que recaem sobre o colaborador Fernando de Carvalho Lopes, veiculadas pela mídia na data de ontem, o clube MESC, por meio de sua administração, resolveu reforçar as cautelas anteriormente adotadas e determinou o afastamento do colaborador em questão de todas suas atividades nas dependências do Clube, até o final da apuração dos fatos pelas autoridades competentes. Reiteramos nosso compromisso com a segurança e bem-estar de nossos associados e visitantes”, publicou o clube.

A denúncia foi feita na edição de domingo do programa Fantástico, da Globo. O treinador negou todas as acusações e afirmou que “tem a consciência tranquila” e que quem o acusa “vai ter que provar na justiça”.

De acordo com a reportagem, Fernando de Carvalho Lopes teria cometido os abusos sexuais durante vários anos em treinos, testes físicos e ainda em viagens com vários atletas. A polícia passou a investigar o caso a partir da denúncia de um garoto de 13 anos, identificado como a primeira vítima a relatar o fato.

Afastamento

Fernando de Carvalho Lopes já havia sido afastado da seleção brasileira da modalidade um mês antes do início dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, quando surgiram as primeiras acusações. O treinador sempre trabalhou com as categorias de base, começou no vôlei e mudou para a ginástica.

O Mesc explicou que não havia afastado o treinador anteriormente por falta de provas. Mas que sempre se preocupou com a situação, tanto é que mudou sua atividade dentro do clube. “Há dois anos, quando do surgimento das primeiras acusações, o Sr. Fernando de Carvalho Lopes foi de imediato e, por cautela, transferido para serviços administrativos, não mantendo desde então qualquer contato direto com atletas e alunos da ginástica”, escreveu.

Também informou que a administração do clube nunca havia recebido nenhuma reclamação sobre o treinador durante os 20 anos em que faz parte do quadro de funcionários. Por fim, avisou que “jamais foi ou será conivente com qualquer tipo de conduta indevida ou criminosa, e assim continuará, sempre prestando serviços de qualidade aos associados e cidadãos do ABC”, finalizou.

Festa rave na Grande Curitiba termina com cinco detidos e apreensão de drogas