Foto: Marcelo Alves

 Imagem de Nossa Senhora Aparecida durante a procissão.

Cerca de 145 mil pessoas visitaram o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida ontem, na festa da padroeira do Brasil. O número de romeiros, ainda não oficial, foi divulgado pela assessoria de imprensa do santuário. A multidão chegou ainda de madrugada e por volta das 6h30 o pátio da basílica já estava lotado. Muitos queriam cumprir logo a promessa feita à santa: em pé ou de joelhos, percorriam a passarela, passavam pela imagem original, acendiam velas e assistiam à missa. Com os joelhos feridos, a mineira Patrícia Araújo chorava muito. Estava emocionada por percorrer de joelhos a passarela de 392 metros para agradecer à saúde da mãe, que ficou em Belo Horizonte (MG). ?A dor não é nada perto da emoção que sinto agora; minha mãe está curada?, dizia, em lágrimas.

Semelhante ao número de fiéis que estavam lá para cumprir promessas, a emoção dos devotos também era grande e os motivos, os mais diferentes. A professora Eloísa Helena dos Santos, de São Pedro dos Ferros (MG), levou uma vela de 1,60m de altura para agradecer a Nossa Senhora por ter passado em um concurso público. Para a aposentada Carmem Lúcia da Silva, de Uberlândia (MG), a visita a Aparecida era apenas mais uma que ela quer cumprir até o final de sua vida. ?Fiquei oito anos sem andar por um erro médico e hoje estou aqui, normal, andando. Por este motivo, virei até o final da vida para agradecer?, afirmou, diante do altar onde está a imagem achada pelos pescadores, em 1717.

Nas missas das 8h e das 10h era tanta gente que muitos se contentavam em assistir a celebração do lado de fora da igreja. ?Está impossível entrar, mas eu rezo aqui mesmo, do lado de fora?, se contentava a catarinense Luci de Oliveira, de 63 anos. Vestido de Homem Aranha, o animador de festa Antonio Cosme Gonçalves, 26, saiu de São Paulo para ?agradecer à santa e comemorar o Dia das Crianças?. Não parava de ser solicitado para fotos e atendia a todos com poses do personagem. ?Sou devoto e achei melhor vir assim, como sempre trabalho.? Durante todo o dia os fiéis enfrentaram um forte calor em Aparecida. No ambulatório da basílica, a equipe médica atendeu 450 pessoas, a maioria por queda de pressão e mal súbito.

Referendo e paz

Neste ano, a festa comemorou os 75 anos da proclamação de Nossa Senhora Aparecida como padroeira do Brasil e os 50 anos do início da construção da igreja, mas a principal mensagem foi a de ?cultivar a paz?, como afirmou o arcebispo dom Raymundo Damasceno Assis. A missa das 10h foi assistida por 40 mil fiéis e teve a presença dos artistas Guilherme Arantes e Joanna. Autoridades como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito de São Paulo, José Serra, ambos do PSDB, também assistiram à missa, no primeiro banco, ao lado de prefeitos da região do Vale do Paraíba. Como já é tradição, Alckmin fez a primeira leitura do Evangelho. Um dos momentos mais emocionantes da missa foi a chegada da imagem, levada e depois coroada por pescadores. Crianças também subiram ao altar central, com camisetas que formavam a palavra ?paz?.

A proximidade da festa com a data do referendo foi aproveitada pela Igreja Católica para divulgar sua posição, a favor da proibição da venda de armas no País. ?Cada um deve pensar e decidir, mas a igreja pede que as pessoas votem no sim. Este ano a festa tem essa responsabilidade, de divulgar a paz e a paz sem armas?, afirmou o padre Carlos da Silva. ?Vou votar sim pois acho que este é um passo em direção à paz?, afirmou Alckmin.

Sem política

Para evitar qualquer comentário ?fora de hora?, segundo os políticos, sobre as eleições do ano que vem, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito de São Paulo, José Serra, ambos do PSDB, adotaram o estilo ?elogios mútuos?, ontem, durante a festa da padroeira do Brasil, no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, no Vale do Paraíba. Para Alckmin, o pleito ainda está distante, não sendo esta a hora de falar sobre o assunto. ?É hora de trabalhar, arregaçar as mangas. O importante é que o PSDB tem bons quadros, tem gente certa no lugar certa, Um deles é José Serra, mas a escolha é só no ano que vem?, disse o governador de São Paulo.

Perda faz Igreja rever evangelização

Cidade do Vaticano (AE/AP) – Após revelar preocupação com o crescente número de brasileiros que estão migrando da Igreja Católica para outras religiões, principalmente as pentecostais protestantes, o cardeal arcebispo de São Paulo, dom Cláudio Hummes, revelou que está em curso um novo projeto de evangelização para o Brasil.

Segundo dom Claudio Hummes, a solução é evangelizar conforme sugeriu o papa João Paulo II, que chegou a dedicar uma encíclica a este tema. ?Temos que ir ao encontro dos fiéis, de casa em casa, nas escolas, nas instituições e não apenas nas paróquias?, diz o cardeal Hummes. Boa parte desse trabalho deve ser desenvolvido por leigos, treinados para se tornarem missionários, visto que o baixo número de sacerdotes é um dos grandes problemas da Igreja Católica no Brasil e em boa parte da América Latina.

O arcebispo de São Paulo informa que, para surtir efeito, a ação deve ser constante e permanente. ?Não basta você ir na paróquia promover a evangelização, tem que sair em busca das pessoas, porque as pessoas não vêm mais. A Igreja tem que estar mais presente?, sugere.