“Agora tenho uma ciclovia interligando meu trabalho e minha casa”, diz Elaine Fontana, professora de artes, de 36 anos, que aproveitou a retirada dos tapumes nesta sexta-feira, 21, para testar a mais nova via para bicicletas na cidade, na Avenida Bernardino de Campos, na região central da cidade. A inauguração oficial está marcada para o domingo, 23.

Elaine mora na região da Consolação e trabalha na Vila Mariana (zona sul). “Vai ser uma mudança significativa na minha rotina diária”, afirma a ciclista. Continuação da Avenida Paulista, no sentido Paraíso, a Avenida Bernardino de Campos tem agora 750 metros de ciclovia, até a Rua Vergueiro. A ciclovia já estava quase pronta nesta sexta-feira. Em alguns trechos, porém, ainda faltam grades de proteção.

Para Gabriel Cassiano, estudante de economia da PUC, de 18 anos, a ciclovia está bem sinalizada.”Tem faróis em todos os cruzamentos, tanto para ciclistas quanto para pedestres e para os carros, as sinalizações na faixa em si estão certinhas até agora”, disse. Para ele, uma ciclovia no local era uma demanda que já existia há algum tempo por parte dos ciclistas.

O fotógrafo Fernando Dantas, de 38 anos, vinha de bicicleta desde a Barra Funda (zona oeste). “No único trecho que não tem ciclovia, tive que subir pela calçada, para atravessar a Consolação, mas de resto foi tudo tranquilo. Estou vendo bastante movimento e foi muito rápido chegar aqui”, afirmou.

Para Sivaldo José de Souza, funcionário de uma banca de jornal na avenida, a ciclovia trouxe benefícios ao local. “A rua ficou muito mais iluminada e muito mais bonita”, disse. A gerente do Hotel Bella Paulista, Lucia Gomes, se queixou das obras para implementação da via, mas afirmou que a mudança pode ser positiva. “Ainda não deu tempo de avaliar”.

Neste domingo, 23, tanto a Avenida Paulista quanto a Bernardino de Campos serão abertas exclusivamente para pedestres e ciclistas entre as Ruas da Consolação e Vergueiro das 9h às 17h. Segundo a CET, haverá faixas de trânsito específicas para permitir o acesso aos respectivos prédios. A ciclofaixa da Paulista, que é instalada todos os domingos e feriados, funcionará normalmente entre às 7 e 16 horas.

Respeito

“Motoristas de carro, ônibus, não podem ver o ciclista como um concorrente, um competidor, mas devem respeitá-lo como outro meio de transporte, que tem os mesmos direitos”, afirma o consultor em planejamento urbano José Leandro Resende Fernandes.

Para o especialista, as ciclovias devem estar interligadas a outros meios de transporte, como trem, metrô e ônibus. “Ciclovia deve ser pensada em termos de um sistema, tem que ter uma boa ligação com outros modais”, afirma.

Em termos de segurança, as ciclovias devem atender a alguns requisitos. Segundo Fernandes, deve haver uma redução da velocidade dos veículos para evitar acidentes mais graves. Além disso, é necessário que haja uma separação de ciclistas com relação ao tráfego, com grades, cones ou tartarugas.