O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, confirmou há pouco que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitará La Paz (Bolívia), no dia 12 de dezembro. O chanceler comentou que notou um esforço do presidente boliviano, Evo Morales, para estabelecer um diálogo com a oposição. "O diálogo deve ser a base para que haja uma verdadeira evolução democrática, positiva", afirmou Amorim. Ele lembrou que o Mercosul divulgou, no fim de semana, posição comum contra qualquer iniciativa que venha a desestabilizar o governo eleito da Bolívia e um chamado a todas as forças políticas bolivianas ao diálogo.

Em relação à Venezuela, Amorim reafirmou sua avaliação de que o resultado do referendo sobre a reforma da Constituição foi respeitável e dentro da lei. "Isso é importante. Houve uma consulta popular, o povo se manifestou, e o resultado foi aceito", comentou, acrescentando: "Isso demonstra que as instituições democráticas venezuelanos estão funcionando.

Por estreita margem de votos, o eleitorado venezuelano rejeitou a proposta de reforma constitucional, que permitiria reeleições ilimitadas do presidente Hugo Chávez, entre outras inovações.