São Paulo – A edição desta semana da revista Veja traz uma nova denúncia de corrupção que pode arranhar a imagem do governo Lula. O semanário revela que uma ONG ligada ao Partido dos Trabalhadores (PT) e fundada por um amigo próximo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é suspeita de desviar pelo menos R$ 900 mil de recursos públicos destinados à qualificação de trabalhadores no Distrito Federal, em São Paulo e no Rio Grande do Sul.

A ONG Ágora foi fundada em 1993 pelo empresário amigo de Lula, Mauro Farias Dutra, 43 anos, Dono da Novadata, empresa que fabrica computadores, com o apoio de vários petistas, entre eles o ex-governador de Brasília Cristovan Buarque. Dono de fortuna respeitável, Dutra já colocou seu avião, um King Air, à disposição de Lula e, no réveillon de 2001, cedeu sua mansão em Búzios para o petista passar as festas.

A ONG serviria para treinar trabalhadores e acabou por amealhar milhões em recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Entretanto, segundo a Veja, boa parte destes recursos foi desviada e os gastos justificados com notas frias. Além do sumiço do dinheiro público, a Ágora também enfrenta a acusação de remunerar seus diretores, o que é proibido.

A denúncia da revista cita vários nomes do PT, mas o único ligado de fato à ONG é o braço direito do ministro José Dirceu no Palácio do Planalto, o dentista Swedenberger Barbosa. Ele teria se associado a Àgora em abril de 2001, periodo no qual foram desviados R$ 113 mil. Barbosa diz que não tinha nenhuma tarefa ligada à contabilidade, que como conselheiro apenas discutia projetos e fazia avaliações. “Participar do conselho de administração é um ato simbólico. Não se confere nota. Se há notas frias, quem deve responder é o Mauro Dutra”, explicou.

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou a abertura de auditorias em todos os contratos de 2003 e 2004 da Ágora-Associação para Projetos de Combate à Fome com o Ministério do Trabalho, que comanda cerca de 40 organizações não-governamentais (ONGs) que trabalham com programas de combate à fome.