Miami – A decisão da Justiça brasileira de identificar por impressões digitais e fotografias os cidadãos americanos que chegam ao Brasil ainda repercute no exterior. Em artigo intitulado “Diferente do Brasil, México atrai americanos”, publicado na edição do Miami Herald de domingo, o jornalista Andres Oppenheimer, classifica o procedimento de “gesto infantil” e de “monumento à estupidez econômica”. O artigo dedica um parágrafo ao “povo maravilhoso” e às belezas naturais do Brasil, “que abriga 2.045 das praias mais bonitas do globo”. Para em seguida lembrar “a patética performance” do país que recebe apenas 3,8 milhões de turistas por ano, em comparação aos 70 milhões de visitantes estrangeiros que chegam por ano à Espanha (50 milhões) e ao México (20 milhões). Lembra ainda que o Brasil ocupa a 34ª posição no ranking mundial de destinação de turistas, perdendo, inclusive, para a República Tcheca, África do Sul e Arábia Saudita. O articulista chama a decisão brasileira de “chilique” do Brasil.