Brasília – O Comando da Aeronáutica divulgou nota, no início da noite desta segunda-feira (23), para negar que os seus técnicos que estão nos Estados Unidos acompanhando o trabalho com as caixas-pretas do avião Airbus A320 da TAM acidentado em Congonhas tenham divulgado dados preliminares sobre a análise desses equipamentos. Nesta segunda-feira, deputados da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo afirmaram que as análises preliminares dos técnicos põem em dúvida a hipótese de que o avião tentou arremeter.

"O Comando da Aeronáutica reitera que os representantes da Comissão de Investigação, que se encontram nos Estados Unidos para apurar os fatores contribuintes para o acidente, não repassaram, em nenhum momento, qualquer informação relativa aos dados contidos nas caixas-pretas a pessoas que não façam parte da investigação", afirma a nota.

"Notícias divulgadas pela mídia a respeito de supostos dados consolidados ou procedimentos atribuídos aos pilotos da aeronave acidentada não têm qualquer embasamento técnico em relação ao que está sendo resgatado do FDR?, continua o texto, em referência ao Gravador de Dados de Vôo (FDR), a primeira caixa-preta a ser analisada ? a segunda é o Gravador de Voz da Cabine (CVR).

Segundo a Secretaria e Comunicação Social da Presidência da República, o chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), brigadeiro Jorge Kersul Filho, ligou nesta segunda-feira para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para refutar as afirmações dos deputados e reiterar que não há, ainda, elementos suficientes que possam levar a qualquer conclusão sobre as causas do acidente, que matou quase 200 pessoas.