Preso como suspeito de ter sequestrado e matado uma menina de 11 anos em Irajá, na zona norte do Rio, Sandro Alves, de 42 anos, tentou fugir da Cidade da Polícia (complexo de delegacias situado na zona norte do Rio) e foi baleado na perna por agentes de segurança. A tentativa de fuga ocorreu no fim da tarde desta terça-feira (17), segundo a Polícia Civil.

Alves foi socorrido e levado a um hospital, mas até as 23h não havia informações sobre seu estado de saúde. Ele estava preso desde a noite de segunda-feira (16), após ter sido amarrado e agredido por moradores de Irajá.

Alves foi acusado de envolvimento no sequestro de Thifany Nascimento de Almeida, de 11 anos, que estava desaparecida desde domingo (15). A polícia foi chamada e descobriu que havia um mandado de prisão contra ele por homicídio. Levado à delegacia, Alves confessou o sequestro de Thifany, segundo a polícia.

O corpo de Thifany foi encontrado no início da noite desta terça-feira, em uma favela de Irajá. Segundo familiares, a menina brincava com uma amiga em uma praça em Acari, também na zona norte, quando um homem surgiu em uma motocicleta e, com a promessa de dar um cachorro de presente a ela, convenceu-a a acompanhá-la na moto. Eles foram embora sem que ninguém interviesse.