Cerca de 18 mil imóveis localizados em 117 comunidades da cidade do Rio de Janeiro estão em áreas consideradas de alto risco de deslizamentos, de acordo com estudo inédito da Fundação Geo-Rio, divulgado hoje.

De acordo com a prefeitura, o mapeamento, feito antes das chuvas de abril do ano passado, chegou a computar 21 mil. Após obras de contenções feitas em encostas, pelo menos três mil imóveis saíram das áreas de risco para deslizamentos.

O mapeamento geotécnico foi feito pela primeira vez no Rio usando tecnologias modernas, como levantamento a laser do terreno e ortofotos. Ao todo, foram vistoriados 13,02 quilômetros quadrados (1.302 hectares), dos quais 30% foram considerados áreas de alto risco.

Foram mapeadas as encostas localizadas no Maciço da Tijuca e adjacências, abrangendo 52 bairros das zonas norte, sul, oeste e do centro da cidade. Segundo a prefeitura, a próxima etapa será a elaboração de projetos de obras específicas para cada comunidade em risco.

Em 2010, pelo menos 47 dessas comunidades listadas passaram por obras de contenção de encostas e urbanização, além de parte dos moradores ter sido reassentada através do aluguel social e de unidades do “Minha Casa, Minha Vida”.