Foram apreendidos 18 milhões de medicamentos irregulares no Brasil em 2010, segundo informações do Ministério da Justiça. As operações conjuntas da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para apreensões de medicamentos falsificados aumentaram de 10 para 60 de 2007 para 2010. Já os locais inspecionados durante as operações aumentaram nove vezes, de 136 para 1.245.

Os estados com maiores apreensões no ano passado foram a Bahia, com 15 milhões de comprimidos, e o Distrito Federal, com 749 mil comprimidos. Entre os produtos apreendidos estão remédios falsificados, contrabandeados, sem registro, vencidos ou impróprios.

Dentre os medicamentos falsificados e os contrabandeados mais encontrados no Brasil estão os usados para tratamento da disfunção erétil, os anabolizantes e os para obesidade. Relatório produzido pelo Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP) revela que os produtos falsificados não são encontrados apenas no mercado informal, mas em farmácias, drogarias e lojas.

O aumento das apreensões, segundo o Ministério, é resultado de um acordo assinado entre o Ministério da Justiça, por meio do (CNCP), e Anvisa em 2008 para melhoria do processo de fiscalização e punição. O acordo está entre os objetivos estratégicos do Plano Nacional de Combate à Pirataria.