O São Paulo tem hoje a tarefa de manter a hegemonia dos clubes brasileiros sobre os mexicanos na Copa Libertadores. Sempre que os times brasileiros pegaram mexicanos pela frente nas fases eliminatórias, conseguiram a classificação.

O próprio São Paulo eliminou o Tigres, no ano passado, com uma goleada por 4 a 0 e derrota por 2 a 1. Mas outros, casos de Atlético-PR (2005), Santos (2003) e Palmeiras (2000) já mandaram os times do México mais cedo para casa. Nesse aspecto, o clube brasileiro que possui melhor desempenho é o São Caetano. Em 2002 na semifinal, eliminou o América e repetiu a dose, contra o mesmo rival, dois anos depois, nas oitavas-de-final.

Nesse segundo confronto, o time do ABC era dirigido pelo técnico Muricy Ramalho – que, curiosamente, havia perdido para os mexicanos duas vezes na fase de classificação, como ocorreu com o São Paulo, em relação ao Chivas. Será um sinal de sorte para o time do Morumbi.

No confronto geral, levando em conta a fase de classificação, desde 1998, quando os times do México passaram a disputar o torneio, os países se enfrentaram 38 vezes na competição continental, com 17 vitórias brasileiras e 13 mexicanas. Houve oito empates.