Mais de 48 milhões de pessoas receberam atendimento odontológico gratuito no país desde março de 2004, quando o Ministério da Saúde criou o programa Brasil Sorridente. Trata-se da primeira política nacional voltada para a saúde bucal desenvolvida no país, com investimentos previstos de R$ 1,3 bilhão até o próximo ano.

Dos 400 centros de especialidades odontológicas previstos, 126 já foram instalados, abrangendo 75 municípios em 20 estados. O número de equipes de atendimento subiu de 4.260 para 9.000. O Brasil Sorridente amplia o atendimento oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que se restringia a serviços básicos como aplicação de flúor e restaurações. Agora a população tem acesso também a cirurgias, tratamento de canal e de gengiva, prótese e diagnóstico de câncer bucal.

Pesquisa sobre saúde bucal realizada pelo Ministério da Saúde, no período de maio de 2002 a outubro de 2003, com 108.921 pessoas entre crianças, adultos e idoso, mostra dados preocupantes. Treze por cento dos adolescentes e 6% dos adultos nunca foram ao dentista. Quase 27% das crianças de 18 a 36 meses já tiveram cárie. Nas que já chegaram aos cinco anos, a proporção chega a quase 60%.

A meta da Organização Mundial de Saúde (OMS) para 2000 era de que 50% das crianças com essa idade estivessem livres das cáries. Segundo o coordenador nacional de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Pucca, com o programa, a meta deve ser alcançada. "Estamos fazendo a fluoretação de água do abastecimento público de diversas cidades do Brasil", informou Pucca. Segundo ele, a medida reduz em 50% a incidência de cáries, principalmente em crianças, e em curto espaço de tempo vai colocar o Brasil dentro das metas da OMS.

De acordo com a pesquisa, é alto também o índice de falta de dentes. Dos adultos entre 30 e 44 anos, 30% não têm dentes e, entre os idosos, o índice é de 75%. Uma das metas do programa é atender 50% dos idosos e adultos que precisam de prótese até o final de 2006.

Gilberto Pucca informou que, até o fim deste ano, como medida preventiva, o programa pretende fluoretar a água de 500 municípios. No segundo semestre, serão distribuídos kits com escova e pasta de dentes para 30% das pessoas que chegam aos centros de atendimento. Ele disse que, embora os recursos previstos contemplem as ações até 2006, após esse período, novo orçamento dará continuidade ao Brasil Sorridente.