O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, LuizCarlos Guedes Pinto, afirmou nesta terça-feira (6) que os Estados Unidos e o Brasil têminteresse em que outros países produzam álcool combustível. O assunto, deacordo com o ministro, poderá ser discutido no almoço de sexta-feira (9) entreos presidentes George W. Bush e Luiz Inácio Lula da Silva.

Outra discussão para que [se] transforme o álcool emcommodity é ter muitos produtores e demandantes no mercado mundial, e issoainda não acontece. O nosso propósito é que muitos outros países passem aproduzir álcool e o objetivo do governo americano também é esse, disse.

Guedes Pinto reafirmou que no almoço dos dois chefes-de-estado serão discutidasestratégias de normatização do etanol para que se transforme em comoddity eseja negociado mundialmente nas bolsas de mercadorias. Eles querem que oálcool se torne um produto de ampla comercialização. Para que ele se tornecommodity é preciso estabelecer padrão e normatização, para que o consumidor emqualquer lugar do mundo saiba oque está comprando, as características e opotencial do combustível, explicou.

No último dia 28 de fevereiro, o chanceler brasileiro Celso Amorim afirmou queo propósito dos dois países é também discutir a normatização entre os doismaiores produtores antes que os menores o façam. Antes que cada um comece afazer uma regrinha diferente para servir de protecionismo, Brasil e os EstadosUnidos têm interesse em criar, no caso do etanol, normas internacionaispadronizadas que não permitem esse uso protecionista", disse Amorim naocasião.

O ministro Guedes Pinto anunciou ainda que vai ao Japão no próximo fim desemana, em viagem de três dias, para apresentar as oportunidades da indústriaagrícola brasileira em reuniões com autoridades do governo e do setor privadojaponês. Ele também participará, em Tóquio, da abertura do principal feira dealimentos internacional realizada no Japão. Eu vou tratar do etanol e deprodutos agrícolas de modo geral e em particular da carne. O Brasil é um grandeexportador de carnes de aves para o Japão, mas nós não exportamos nada de carnesuína e bovina.

Guedes Pinto participou da abertura da 12a Reunião Conjunto doComitê Econômico Brasil-Japão, promovido pela Confederação Nacional daIndústria (CNI) e pela confederação japonesa Nippon Keidanren, em que sãodiscutidas possibilidades de investimentos e analisados os resultados deinvestimentos já feitos por empresas em ambos os países.

Também participou da abertura da reunião o ministro doDesenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan.