A volta de jovens e adultos aos bancos escolares foi um dos principais temas do encontro de hoje, 9, em Madri, do ministro de Educação, Cristovam Buarque, e sua colega, a ministra da Educação da Espanha, Pilar Del Castillo. Eles conversaram sobre a importância da melhoria da Educação profissional como forma de atrair alunos às salas de aula, experiência bem-sucedida adotada pela Espanha.
Na reunião, os ministros dos dois países acertaram para maio próximo a vinda, ao Brasil, de uma delegação espanhola, chefiada por Pilar Del Castillo, para dar continuidade à pauta de discussão sobre o ensino técnico profissionalizante e, também, de outros temas educacionais de interesse das duas nações. Entre eles, metodologias de avaliação educacional e o desenvolvimento do ensino a distância, muito avançado na Espanha. Esse país pode ajudar o Brasil na realização de cursos a distância para jovens e universitários e, também, para a formação e capacitação de professores em língua espanhola.
Cristovam Buarque e Pilar Del Castillo debaterão, ainda, no encontro de maio, a proposta de criação de cursos de ensino médio bilíngües, onde as disciplinas serão ensinadas em português e espanhol. A iniciativa poderá proporcionar novas oportunidades aos jovens brasileiros, como estudar em países europeus, do Mercosul e em outros de língua espanhola.
Também se antecipa à obrigatoriedade de introdução da língua espanhola nos currículos dos ensinos fundamental e médio das escolas brasileiras, prevista no Projeto de lei nº 4.004, que tramita no Congresso Nacional desde 1993. Aprovado pela Câmara Federal, o projeto sofreu alterações no Senado Federal e retornou para nova apreciação com o substitutivo que obriga o ensino do espanhol no curso médio e faculta a sua implantação no ensino fundamental.