Brasília – O comércio entre o Brasil e a Argentina poderá ser feito com o uso das moedas de cada país, o real e o peso, ao invés do dólar, como é feito atualmente. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, vai tratar desse assunto nesta terça-feira (10), em encontro que vai manter com a ministra argentina da Economia, Argentina Felisa Miceli, em Buenos Aires. Ele abordou a questão, em entrevista coletiva nesta segunda-feira (9), na Embaixada do Brasil na capital Argentina.

Toda vez que um importador ou exportador de ambos os lados comercializa um produto, tem que fazer a conversão das moedas em dólar, o que gera tarifas, onerando o negócio que está sendo feito. Nesta segunda-feira, o ministro Luiz Fernando Furlan iniciou uma visita pela Argentina onde manterá conversas com empresários e ministros do governo Kirchner para discutir investimentos recíprocos e intercâmbio bilateral.

De acordo com o ministério, Furlan se reuniu com o presidente da União Industrial Argentina (UIA), Héctor Méndez, e almoçou com empresários que compõem o Conselho de Empresários da América Latina (CEAL). O ministro ainda teve um encontro com o ministro Julio Miguel De Vido (Planejamento Federal, Investimento Público e Serviços).