O Bradesco anunciou hoje (20) ter fechado um acordo pelo qual pagará US$ 490 milhões (cerca de R$ 1,05 bilhão) para assumir as subsidiárias da American Express no Brasil que atuam no ramo de cartões de crédito, corretagem de seguros, serviços de viagens e de câmbio no varejo, além das operações de crédito direto ao consumidor (CDC). O acordo prevê exclusividade do Bradesco para a emissão de cartões de crédito da linha Centurion no País, o que inclui os tradicionais cartões Green, Gold e Platinum que apresentam a logomarca American Express Centurion.

Além dos US$ 490 milhões, o Bradesco pagará royalties para usar a marca American Express (Amex) no País. "O uso da marca será válido por dez anos, renováveis por mais dez", disse o presidente do banco, Márcio Cypriano. Além dos cartões da linha Centurion, a Amex possui também a linha Blue Box, que continuará com a empresa. Essa é a linha dos cartões emitidos por outros bancos locais, como o HSBC, por meio de acordos de licenciamento

"Esses cartões continuarão a ser emitidos pelos bancos já parceiros e por outros que venham a fazer acordos com a empresa" disse Hélio Magalhães, presidente da Amex no País. Ele ressaltou que a companhia continuará a operar no Brasil com essa linha de cartões, com o negócio de traveller checks e com o escritório de representação do American Express Bank.

Segundo o diretor do departamento de cartões do Bradesco, Marcelo Noronha, os royalties a serem pagos à Amex aumentarão à medida que a base de cartões crescer. "A expectativa é de aumentar significativamente a base de clientes e de estabelecimentos credenciados nos próximos anos", disse Cypriano

A carteira de CDC da Amex soma hoje cerca de R$ 140 milhões. "É uma carteira bastante saudável, com boa qualidade", disse Magalhães. Segundo o executivo, a parceria com o Bradesco beneficiará os clientes da Amex, que passarão a ter acesso aos produtos e serviços oferecidos pelo banco e a uma rede maior de estabelecimentos credenciados.

Expansão

O Bradesco espera ampliar sua base de cartões de crédito em 29% neste ano, sem considerar a aquisição da operação da American Express. Essa expansão significa 2,5 milhões de novos cartões, que se somarão aos 8,7 milhões do final de 2005, totalizando 11,2 milhões de unidades. A American Express possui 1,2 milhão de cartões.

Cypriano disse que o mercado de cartões no País deve crescer 20% em faturamento este ano na alta renda, segmento em que atua a American Express. No segmento de renda mais baixa, o aumento da receita deve ser ainda maior, de 28% até dezembro.

Segundo Cypriano, o Bradesco pretende investir tanto na alta como na baixa renda. A parceria com as Casas Bahia é um exemplo de sucesso no segmento de baixo poder aquisitivo, de acordo com ele. Apenas durante o Super Lojão Casas Bahia, no final do ano passado, o Bradesco vendeu 80 mil cartões. "Hoje já são 130 mil".