A véspera da divulgação do número de postos de trabalho criados nos EUA foi caracterizada por volatilidade na Bovespa, que acompanhou em parte o que aconteceu em Nova York, além de ter repercutido o lucro recorde divulgado ontem à noite pela Companhia Vale do Rio Doce. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, encerrou com valorização de 0,44% aos 37.451 pontos, após oscilar entre a mínima de -1,06% e a máxima de +1,07%. O volume financeiro foi de R$ 1,93 bilhão.

O Ibovespa abriu enfraquecido pela decisão inesperada do banco central inglês de elevar o juro em 0,25 ponto porcentual, para 4 75% ao ano, associado ao discurso duro do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet. Após o BCE, conforme previsto, ter alterado de 2,75% para 3% a taxa de juro, Trichet disse que o juro poderá continuar subindo se as pressões inflacionárias se confirmarem. A Bolsa de Londres fechou em queda de 1,58%.

Mais tarde, contudo, com a queda nos preços do petróleo, que reagiram à notícia de que a tempestade Chris perdeu força e não se transformará em furacão, as Bolsas de Nova York passaram a operar em alta, à espera de um relatório de emprego positivo, a ser divulgado amanhã. A alta das Bolsas lá fora ajudou a Bovespa a subir. Também colaborou a alta robusta das ações da Vale, reagindo ao lucro de R$ 3,906 bilhões entre abril e junho, superando as estimativas dos analistas. As ações da mineradora fecharam em alta de 1,22%.