O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou o lançamento do Fundo Tecnológico (Funtec), que completa a arquitetura básica da sua nova política de apoio à inovação. O Funtec tem um patrimônio de R$ 153 milhões, e fará investimentos com fundos não reembolsáveis – isto é, dotações que não precisam ser pagas. A carteira identificada é de R$ 286 milhões

A inovação é vista agora pelo BNDES como fundamental para a competitividade das empresas brasileiras no mundo globalizado. "A globalização, a automação flexível e a China tornam obrigatório o rejuvenescimento permanente das empresas, dos seus produtos e das suas ligações com o mercado", disse o diretor de Planejamento do BNDES, Antônio Barros de Castro, na comemoração do 54.º aniversário da instituição, quando foi anunciado o lançamento do Funtec

Os investimentos do Funtec serão destinados a institutos de pesquisa que, em associação com empresas, tenham programas voltados a buscar soluções de grandes entraves tecnológicos em áreas específicas, escolhidas pelo seu potencial de se tornar "frentes estratégicas", que puxem o crescimento da economia

Já há três áreas definidas para a atuação do Funtec: energia renovável proveniente da biomassa, principalmente o etanol; software, semicondutores e soluções biotecnológicas voltadas ao agronegócio; e medicamentos e insumos para doenças negligenciadas, e fármacos derivados de biotecnologia avançada

Uma quarta área, cuja estratégia ainda está em fase final de elaboração, é a de bens de capital

Segundo Castro, principal formulador da nova política de inovação, o Funtec é complementar, de certa forma, às duas novas linhas de financiamento preferencial (com juros de 6% ao ano e de Taxa de Juro de Longo Prazo mais spread de até 1,8%, e prazos longos)lançadas em fevereiro, voltadas a projetos inovadores

Na visão de Castro, as linhas de crédito preferenciais são a parte mais horizontal da política de inovação, voltadas a desengavetar as muitas soluções inovativas que o sistema produtivo brasileiro já possui mas ainda não colocou em prática

O Funtec volta-se a obter grandes avanços tecnológicos em áreas-chave, que por seu dinamismo (com base no conhecimento) possam crescer aceleradamente, puxando a taxa de expansão da economia em um ou dois pontos porcentuais além do ritmo garantido apenas pela solidez macroeconômica