Rio (AE) – Durou pouco mais de uma hora o blecaute que atingiu todos os bairros cariocas e vários municípios dos Estados do Rio, Espírito Santo e Minas Gerais, no início da noite de hoje (1). De acordo com a assessoria de Furnas Centrais Elétricas, a queda de energia foi provocada por uma pequena falha no sistema de transmissão na estação de Cachoeira Paulista.

O problema causou vários transtornos. A Usina Angra 1 foi desligada, os Aeroportos Santos Dumont e Internacional Tom Jobim foram afetados, vários vôos atrasaram, alguns chegaram a ser suspensos, o que aumentou as filas para quem voltava para casa após a festa do réveillon.

Sinais de trânsito apagados tumultuaram principalmente a zona sul do Rio. O Túnel Rebouças, a Auto-Estrada Lagoa-Barra e a Avenida Nossa Senhora de Copacabana – três pontos de muito movimento na cidade – registraram retenções. Operadores da CET-Rio, guardas municipais e policiais militares tentavam evitar mais confusão.

Todas as estações do metrô pararam por uma hora e vários passageiros tiveram de ser retirados pelas saídas de emergência. Também não faltaram chamadas para o Corpo de Bombeiros do Rio – mais de 20, até às 19h15 – para o resgate de pessoas presas em elevadores.

O centro do Rio também ficou às escuras desde 18h30 e os motoristas que passavam pela Avenida Rio Branco apenas reduziam a velocidade nos cruzamentos, com receio de assaltos. Em Copacabana e Ipanema, restaurantes suspenderam o serviço de entrega de refeições. Lojas e supermercados da cidade encerraram as atividades mais cedo e sessões de cinema e teatro foram interrompidas.

No Rio, o ‘apagão’ atingiu ainda todas as cidades da Baixada Fluminense, da Região dos Lagos e da Região Serrana, além de Niterói. Em Mangaratiba, no litoral sul do Rio, o estudante Rafael de Souza Lindeiro, de 23 anos, desmaiou ao receber uma descarga elétrica no momento em que houve o blecaute: ele ajeitava uma gambiarra na porta de casa. Socorrido no hospital municipal de Mangaratiba, Lindeiro ficou sob observação.