Brasília – O Banco Interamericano de Desenvolvimento pretende investir cerca de US$ 3 bilhões em projetos privados de produção de biocombustíveis. Desse total, US$ 2,57 serão aplicados no Brasil. O anúncio foi feito ontem (2), em reunião da Comissão Interamericana de Etanol, na sede do BID, nos Estados Unidos.

O grupo é co-presidido pelo presidente do BID, Luis Alberto Moreno, pelo ex-ministro da Agricultura e presidente do Conselho Superior do Agronegócio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Roberto Rodrigues, e pelo ex-governador do estado da Flórida, Jeb Bush. Participaram do encontro cerca de 250 representantes empresariais e governamentais e pesquisadores.

Segundo comunicado à imprensa, o BID informa que US$ 570 milhões se destinarão ao financiamento de a três projetos de produção de etanol no Brasil. Outros US$ 2 bilhões serão aplicados em cinco transações de biocombustíveis ou projetos com componentes de biocombustíveis. Os investimentos, de acordo com o presidente do banco, ajudarão o Brasil na meta triplicar a produção anual de etanol até o ano 2020.

O BID também quer ajudar o Brasil a se transformar em centro mundial de primeira linha em pesquisa e desenvolvimento de biocombustíveis. De acordo com a assessoria do banco, a instituição já negocia com autoridades brasileiras a possibilidade de transferência de tecnologia e assistência técnica para outros países da região.

Na Colômbia, a Corporação Interamericana de Investimentos do banco estuda o financiamento de US$ 20 milhões para uma empresa de biocombustível de óleo de palma com capacidade para produzir até 100.000 toneladas de combustível por ano. Na Costa Rica e em El Salvador, o BID está financiando estudos de viabilidade e assistência técnica em áreas como regulação, desenvolvimento de mercado e educação pública para ajudar os governos de ambos os países a alcançar sua meta de substituir 10% de seu consumo atual de gasolina por etanol. Também está em formatação um programa de energia limpa que disponibilizará US$ 300 milhões para financiamento e assistência técnica a projetos de energia renovável e eficiência energética em toda a região, com ênfase em investimentos em pequena escala.

De acordo com o comunicado, ao anunciar os investimentos Luis Alberto Moreno afirmou que os biocombustíveis são uma ?oportunidade transformadora? para a América Latina e Caribe. "Os biocombustíveis podem trazer investimento, desenvolvimento e trabalho a zonas rurais com altos níveis de pobreza, reduzindo ao mesmo tempo a dependência de combustíveis fósseis importados", disse. "Cremos que os biocombustíveis podem ajudar em nossa missão principal de gerar oportunidades econômicas e melhorar a qualidade de vida da maioria de baixa renda na região", complementou.