O chefe do Departamento Econômico do Banco Central (Depec), Altamir Lopes, estimou nesta terça-feira (19) que os investimentos estrangeiros diretos (IED) no País em dezembro devem somar um volume em torno de US$ 2 bilhões. Ele destacou que foi a primeira vez, este ano, que o BC revisou a estimativa de IED para 2006, passando de US$ 18 bilhões para US$ 18,3 bilhões. Para o ano que vem, permanece a estimativa de US$ 18 bilhões.

Altamir disse também que o superávit em conta corrente em novembro, de US$ 1,520 bilhão, veio abaixo da estimativa do Banco Central. Segundo ele, a projeção era de superávit em novembro de US$ 1,7 bilhão. Altamir atribuiu este resultado menor ao desempenho da balança comercial. As importações, em novembro, foram mais fortes do que o esperado, resultando, então em superávit comercial mais baixo do que o projetado.

O chefe do Depec, no entanto, disse que o acumulado de janeiro a novembro permitiu que o BC revisse a projeção de superávit em conta corrente para o ano, de US$ 11,9 bilhões para US$ 13,3 bilhões. Ele destacou que com o saldo de janeiro a novembro, de US$ 13,182 bilhões, será necessário um resultado de pouco mais de US$ 100 milhões em dezembro para atingir a projeção do ano.

Expectativas menores

Altamir afirmou que os investimentos estrangeiros diretos (IED) no País em novembro, de US$ 2,668 bilhões, vieram acima das expectativas do Banco Central e do mercado. Segundo ele, o BC estimava um total de IED em novembro de US$ 2 bilhões. O resultado final também superou as estimativas do mercado, que pela coleta de expectativas feita pelo AE-Projeções variavam de US$ 1,5 bilhão a US$ 2,3 bilhões.

Segundo Altamir, já era esperado que houvesse um aumento forte dos investimentos no final do ano. Ele disse que o IED de novembro é o maior desde abril de 2005, quando os investimentos deste tipo somaram US$ 3,037 bilhões. Para meses de novembro, é o maior desde 2000, quando os investimentos somaram US$ 5,722 bilhões.