O Banco do Brasil (BB) vai deixar de cobrar, a partir de segunda-feira, a Taxa de Abertura de Crédito (TAC) dos aposentados e pensionistas que quiserem tomar empréstimos consignados na instituição. O anúncio foi feito pelo diretor de Varejo da instituição, Paulo Bonzanini. Ele afirmou que o banco está se antecipando à entrada em vigor da resolução do Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovada na quarta-feira.

A resolução determina que os bancos não cobrem a TAC de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que quiserem obter empréstimos com desconto em folha. A determinação, no entanto, só entrará em vigor após sua publicação no Diário Oficial da União.

"Essa resolução vai dar maior transparência à concessão deste tipo de crédito a esse público", comentou o diretor. Ele informou que a TAC cobrada pelo BB equivalia a 3,5% do valor do financiamento, com um teto de R$ 80 e um piso de R$ 15. Atualmente, o banco tem uma carteira de crédito com desconto em folha de R$ 5 bilhões, o que representa cerca de 27% da carteira total de crédito do banco para pessoas físicas.

Desse universo da carteira do crédito consignado, R$ 1 bilhão são de empréstimos a aposentados e pensionistas, R$ 1 bilhão são créditos aos trabalhadores de empresas privadas e outros R$ 3 bilhões são empréstimos aos servidores públicos. Bonzanini comentou que o Banco do Brasil registrou um crescimento de 13,7% na carteira de crédito consignado em todo o ano de 2005 e a meta é pelo menos dobrar essa carteira até o final deste ano.