O Bayern de Munique irá hoje à Itália enfrentar o Milan, na partida de ida das quartas-de-final da Liga dos Campeões, em que tentará se vingar da eliminação sofrida na edição passada da competição européia.

A partida será disputada no estádio Giuseppe Meazza, que guarda muitas lembranças para o Bayern, pois lá ganhou sua última Liga dos Campeões, em cima do Valencia, em 2001. Agora, o Bayern visita um Milan que lhe eliminou da Liga na temporada passada, mas que vive um mau momento em seu campeonato local.

O técnico Carlo Ancelotti não revelou se escalará apenas Gilardino como único atacante, reforçando o meio-campo, ou se dará nova chance a Inzaghi na frente.

Tudo indica que Ancelotti optará por jogar com apenas um atacante, já que teme o poderio do Bayern Munique, uma equipe forte fisicamente e que pode vir com tudo para cima do Milan.

Os italianos contarão com o retorno dos zagueiros Paolo Maldini e Nesta. Ambos serão importantes na missão de fazer com que a equipe não leve gols, algo que pode ser determinante neste tipo de eliminatória, como deixou claro a eliminação do Real Madrid pelo próprio Bayern, que se classificou justamente ter marcado um gol a mais fora de casa. Com Gilardino sozinho na frente, o Milan deve jogar no sistema 4-3-2-1, com Kaká e o holandês Seedorf fazendo a ligação com o ataque.

O Bayern chega ao duelo embalado pela vitória sobre o Schalke, por 2 a 0, pelo Campeonato Alemão, mas ao mesmo tempo debilitado pelas ausências do goleiro Oliver Kahn e do meia Mark van Bommel que serão substituídos respectivamente por Michael Rensing e Andreas Ottl.

A equipe alemã tem um retrospecto negativo diante do Milan, mas seus jogadores parecem convencidos de que podem quebrar essa escrita. "Ninguém acreditava que fôssemos capazes de derrotar o Real Madrid, mas nós conseguimos", disse o atacante Podolski.