Brasília – O saldo comercial da segunda semana de fevereiro foi de US$ 560 milhões. Houve expansão na exportação de todos os grupos de produtos. Os básicos, influenciados principalmente por milho, soja em grão e café em grão, venderam 15% mais. Os semimanufaturados apresentaram crescimento de 43,5%. Pesaram nesse resultado as vendas de óleo de soja e ferro fundido. Os que tiveram menor aumento foram os manufaturados, 6,3%. Estão nesse rol, automóveis, calçados e motores para veículos.

Foi verificada, ainda, a redução de 4,2% nas importações em relação à primeira semana do mês, em razão de gastos menores com combustíveis e lubrificantes, produtos farmacêuticos, aeronaves e peças, extratos tanantes, papel e obras, alumínio e obras, peixes e crustáceos.

A média diária de exportações na última semana foi 14,2% acima da média da primeira semana, com exportações de US$ 324,0 milhões e US$ 283,8 milhões, respectivamente. Até a 2ª semana de fevereiro, as exportações acumulam em 2004 US$ 3.039 milhões e as importações, US$ 2.166 milhões, com superávit de US$ 873 milhões.

A média diária das importações até a 2ª semana de fevereiro/2004, foi de US$ 216,6 milhões, 11,5% acima da média de fevereiro/2003 (US$ 194,3 milhões) e 8,0% superior à de janeiro/2004 (US$ 200,6 milhões). No comparativo com fevereiro/2003, ampliaram-se os gastos com adubos e fertilizantes (119,4%), aeronaves e peças (81,2%), farmacêuticos (31,3%), instrumentos óticos e de precisão (28,5%), químicos orgânicos/inorgânicos (28,4%), siderúrgicos (27,0%), borracha e obras (19,4%), combustíveis e lubrificantes (11,9%) e plásticos e obras (10,1%).

Em relação a janeiro/2004, houve aumento nas aquisições de aeronaves e peças (182,3%), farmacêuticos (72,0%), instrumentos óticos e de precisão (30,4%), equipamentos elétricos/eletrônicos (21,8%), químicos orgânicos/inorgânicos (8,8%), borracha e obras (7,7 %) e combustíveis e lubrificantes (3,7%).