A vantagem do Barcelona na liderança é tão grande (12 pontos sobre o Osasuna, 13 sobre o Real Madrid e 14 sobre o Valencia) e o adversário deste sábado é tão fraco – o Málaga, lanterna da competição – que o técnico Frank Rijkaard resolveu deixar Ronaldinho Gaúcho em casa, descansando para a partida de terça-feira em Lisboa, contra o Benfica, pelas quartas-de-final da Liga dos Campeões.

O melhor jogador do mundo não foi nem convocado para a viagem. Como no meio da semana houve rodada do Campeonato Espanhol – o Barcelona ganhou em casa do Getafe por 3 a 1 -, Rijkaard achou melhor dar um descanso para a estrela da companhia. O trio ofensivo será formado por Larsson, Eto?o e Ezquerro. O meio-de-campo terá Van Bommel, Iniesta e Deco. Como o capitão Puyol está suspenso, enquanto Rafa Marquez e Edmílson foram vetados por contusão, o volante Thiago Motta será improvisado como zagueiro ao lado de Oleguer. Essa deverá ser a dupla no jogo de Lisboa, porque Puyol também está suspenso da partida contra o Benfica.

O presidente Juan Laporta quer que o time assegure o título espanhol o quanto antes (faltam nove rodadas) para poder se dedicar exclusivamente à luta para ganhar a Liga dos Campeões pela segunda vez na história – a única conquista foi em 1992, na final contra a Sampdoria.

Apesar da pressa do presidente e da euforia da torcida, os jogadores mostram que assimilaram bem o discurso de Rijkaard. "Dizem que só um milagre nos tirará o título, mas milagres acontecem. Temos que continuar trabalhando duro até que o campeonato esteja matematicamente definido", disse Eto?o, artilheiro da competição com 22 gols.